Games no Brasil: Blizzard e Sony

Bandeira brasileira

A vida de gamer no Brasil, principalmente daqueles que querem evitar a pirataria, sempre foi um pouco difícil. Se não são os preços irreais, frutos de uma combinação bizarra de impostos e lucros excessivos, é o atraso ou falta de lançamentos em território nacional, importados ou não. Felizmente, o cenário mostra sinais de mudança!

Na mesma semana, duas notícias agitaram o jogadores: a Sony finalmente trouxe a sua Playstation Network, Store e Blog para o Brasil e a Blizzard anunciou uma versão 100% localizada de World of Warcraft, o MMORPG de maior sucesso no mundo.

Playstation Network

Playstation Network Brasil

Agora já é possível jogar e comprar títulos de Playstation 3 (e também do primeiro console) online, sem nenhuma gambiarra. Claro que a loja virtual brasileira não conta com tantos títulos como as americana ou européia, mas já é um ótimo começo. A Sony promete lançar cada vez mais jogos na PS Store brasileira, que inclusive passarão normalmente pela avaliação de faixa etária obrigatória por lei. Apesar dos recentes problemas com a PSN, essa é uma ótima notícia para os gamers brasileiros, que inclusive podem participar do programa Welcome Back que promete dois games gratuitos como um pedido de desculpas da Sony pelo tempo que a PSN passou offline.

World of WarcraftWorld of Warcraft no Brasil

A Blizzard vem ensaiando essa manobra há tempos. O WoW já tem 7 anos de lançado, várias expansões e servidores espalhados pelo globo. Muitos jogadores brasileiros utilizam de servidores gringos (o Warsong é o preferido), com alta latência devido à distância. Agora teremos o jogo totalmente localizado, traduzido e dublado, além de um preço especial. Inclusive, mais barato que o preço americano! Esse é mais um passo da Blizzard no Brasil, depois do grande lançamento de Starcraft II, também localizado e com preço diferenciado.

Mercado brasileiro de jogos eletrônicos

O Brasil nunca teve uma tradição em jogos eletrônicos: nem em criação nem em consumo desse tipo de mídia. Nos últimos anos, porém, essa realidade tem mudado bastante: com mais gente na classe média, os brasileiros tem jogado cada vez mais videogame. Isso só não tornou ainda o mercado local de jogos uma arena para as empresas guerrearem pelos gostos dos brasileiros por causa da forma como jogos eletrônicos são tratados no Brasil. Qualquer jogo eletrônico é tratado como bem supérfluo (isso eu concordo, aliás) e também como jogo de azar (isso eu discordo totalmente!). Além disso, existe a idéia que videogame trata-se de um passatempo de ricos, o que justifica um alto lucro em cima dos produtos.

Resultado: alta taxa de pirataria. Admitam: é muito raro achar alguém que não pirateie alguns jogos. Mais raro ainda aquele que afirmar que nunca fez isso na vida. Isso retardou bastante a entrada das principais produtoras de games no país e só agora elas estão resolvendo agir.

Existem várias iniciativas para reduzir os preços dos games no país para um patamar mais justo, assim como várias pessoas que já desistiram de comprar as versões nacionais e sempre compram fora. Eu sou um destes últimos: sou praticamente viciado na Steam, a loja virtual da Valve, recheada de jogos para PC. Seus preços não são diferenciados por região e, além disso, existem várias promoções que oferecem os jogos a preços quase irresistíveis. Comprando um jogo nessas lojas, você não tem a mídia física ou caixinha, simplesmente baixa o jogo pela internet. Mais fácil e prático, mas tem uma certa desvantagem com a baixa velocidade das conexões brasileiras.

No entanto, essa parece ser a melhor estratégia para o mercado. Afinal, precisamos mesmo é de preço. Cortar custos com caixinhas, impostos e mídias físicas é sempre bem-vindo. Claro que existe um custo com infraestrutura, mas com certeza esse custo é bem menor a longo prazo.

Eu estou bastante animado com o rumo que os games tem tomado no Brasil. Ainda não chegamos lá, mas eu acho que em breve teremos um bom mercado comprando, jogando e produzindo games!

5 pensamentos em “Games no Brasil: Blizzard e Sony”

  1. Esse avanço é extremamente importante para o mercado de games brasileiro. Além de ser uma grande jogada contra a pirataria, principalmente em relação a blizzard. A jogada de mestre dela com a equiparação nonsense do preço irá fazer com que muitos daqueles jogadores que hoje jogam em servidores pitaras e contribuem com alguma coisa passem a jogar no original. Em fim, um grande passo!

    1. Que Kratos te ouça! Eu vejo muitos talentos pelo Brasil, mas nenhum investimento AAA ainda. Não parece que é fácil instalar uma filial de desenvolvedora de jogos aqui… desenvolvedores indies, no entanto, devem ter seu espaço.

Os comentários estão desativados.