Mass Effect 2: jogando e comentando

Capa do jogo Mass Effect 2

O primeiro Mass Effect foi lançado para Xbox 360 e PC e fez um enorme sucesso. Em meio a tantos shooters (jogos de tiro) para o PC e o console da Microsoft, Mass Effect veio deixando a sua parte shooter um pouco de lado e dando espaço pra um enredo esplêndido e um cenário que responde às suas escolhas de forma muito impactante. Em Mass Effect, além de liderar os seus aliados contra o exército de inimigos, você também tem de lidar com várias decisões difíceis, de vida ou morte, no meio jogo. E essas decisões não são esquecidas: tudo o que você faz tem um reflexo no cenário. E continua tendo em Mass Effect 2 e também no terceiro, quando sair.

Mass Effect 3 foi adiado para o ano que vem, em 06/03/2012 (veja o trailer), para alguns ajustes em prol da melhor experiência, segundo a Bioware. E eu acredito: pode atrasar, se for pra fazer ainda melhor. No entanto, quem quiser já pode fazer a pré-compra na loja da Eletronic Arts, a Origin, por R$ 99,00 ou 139,00 pela versão de colecionador.

Joguei o primeiro game e fiquei logo viciado: Mass Effect é o melhor RPG que joguei nos últimos tempos. Sua trama bem bolada me prendeu do início ao fim de uma forma que não experimentava há muito tempo. Logo fiquei na vontade de jogar o segundo, que já havia sido lançado. Quase nunca consigo acompanhar o ritmo de lançamento dos games! Enfim, em uma promoção na Steam, adquiri Mass Effect 2 e não me arrependi.

Se você já chegou nesse ponto do texto e ainda não jogou Mass Effect: SHAME ON YOU. Termine de ler e vá jogar! Existem versões para PC, Xbox 360 e PS3, todas com vários DLCs disponíveis com missões, história, personagens e equipamentos extras.

Começando

Logo no início, ME 2 pergunta se você quer importar o seu personagem do primeiro game, caso você tenha o save em sua máquina. Perfeito! Todas as decisões, classe e a aparência do seu personagem são mantidas e isso acrescenta em muito ao jogo. Importei a minha personagem e fui jogar.

O gráfico de ME 2 é muito mais detalhado que o primeiro jogo, o que já me deixou empolgado. As primeiras cenas são muito bacanas: Shepard e sua tripulação são atacados no espaço enquanto estão em uma missão. Depois de salvar a maior parte da tripulação, Shepard acaba sendo atingido por uma explosão e lançado ao espaço, morrendo!

Calma, isso não foi spoiler! Acontece logo no começo mesmo! Depois Shepard acorda em uma maca high-tech e tudo é explicado.

Screenshot

Jogabilidade

Logo nas primeiras cenas de combate pude perceber o quanto a jogabilidade de Mass Effect melhorou no segundo game. O público que gosta de um bom shooter se sente em casa! O primeiro jogo tinha uma jogabilidade mais travada, devagar. O segundo é mais parecido com Gears of War: jogabilidade mais rápida, simplificada e baseada em cobertura.

Vários pontos do game foram simplificados, aliás. O inventário, evolução do personagem, utilização dos poderes: tudo no game tornou-se mais simples e mais agradável! Cada personagem tem uma classe e alguns poderes que podem ser comprados com squad points, que são adquiridos ao passar de nível. No primeiro game, a gama de habilidades para Shepard era muito alta, pois incluíam habilidades com arma, intimidação, eletrônica e etc. No segundo, apenas habilidades de combate são evoluídas dessa forma.

A simplificação, porém, tem um revés: em alguns momentos o jogo passa a sensação de ser um shooter convencional, dividido em fases. Por mais que na maior parte do tempo você possa escolher para onde ir e a ordem das quests em sua jornada, a sensação ainda permanece. A distinção de mapas de exploração e mapas de combate dá um pouco mais de ênfase nisso. Não é algo que arruine a experiência com o jogo, mas foi algo que me incomodou.

Enredo

O segundo revés que encontrei no game foi o enredo. Apesar de ser fantástico, achei que o primeiro Mass Effect teve muito mais impacto. A aquisição de personagens fazia mais sentido e seus objetivos também. Boa parte de Mass Effect 2 você percorre a galáxia recrutando o seu time, enquanto o plot principal do enredo avança de forma mais vagarosa.

Talvez isso seja natural, afinal o primeiro game teve a responsabilidade de nos apresentar todo o universo de Mass Effect, que é bastante detalhado, sua história geral e desenvolver o enredo do zero. Existem mais supresas, mais mistério.

As descobertas feitas em Mass Effect 2 são incríveis, não duvide disso. Só são em menor número. Mesmo assim, vou jogá-lo de novo. Mass Effect, tanto o primeiro como o segundo (e com certeza ainda mais no terceiro), exige que você jogue-o mais de uma vez para contemplar o todo. Suas decisões durante uma primeira jogada (playthrough) a afetam de uma forma que você fica curioso sobre o que aconteceria se você fizesse de outra forma. Ou fosse de uma outra classe. Imaginem isso com o seu personagem sendo levado de um jogo ao outro!

Finalmente

Enfim, Mass Effect é uma ótima franquia. Recomendo a todos os gamers! Ativem as legendas, pratiquem o seu inglês (afinal o jogo possui muitos diálogos!) e sejam felizes com seus comandantes Shepard. Eu, que joguei com uma Shepard heróica e da classe Vanguard, vou jogar agora com um Shepard mais brutal da classe Soldier e outro Infiltrator.

Screenshot

Esse texto não é um review! São apenas comentários enquanto estou aproveitando o jogo. Acho que essa abordagem mais pessoal é muito bacana. Aprendi lá no XboxPlus!

Confira também as screenshots de Mass Effect 2 que vou tirando enquanto jogo! Eu as teria colocado no Steam, como vinha fazendo, mas o Steam tem dado problema comigo nessa funcionalidade.

Mass Effect 2

2 pensamentos em “Mass Effect 2: jogando e comentando”

  1. Erick, meu filho… com uma opinião pessoal assim, tão próxima e relevante, pesou-me agora a OBRIGAÇÃO de jogar! Ambos!!! 😉 Ahh, tempo…

Os comentários estão desativados.