Apps e tweaks no jailbreak do iPhone

Qualquer um que goste de fuçar em seu smartphone se pergunta: “o que há além dos limites? Além da App Store ou do Android Market?”. Ou até mesmo em Symbians, Windows Phones e outros. Para ir além das restrições é preciso fazer um procedimento conhecido por jailbreak nos dispositivos com iOS (e o WP também usa essa nomenclatura) ou root em Androids.

Depois de procurar um pouco aqui e ali, você consegue fazer o tal do jailbreak. Mas e agora, por onde começar? O app Cydia, que provavelmente foi instalado quando você fez o jailbreak, lhe promove um ambiente parecido com a App Store pra procurar os apps ou tweaks. Só que existem muitos apps lá, muitos inúteis, muitos que já não funcionam no iOS 5… Então resolvi criar aqui a minha lista de apps e tweaks preferidos! Confira logo abaixo, após a quebra, quais os tweaks que se mantém úteis após as novidades do iOS 5. Continue lendo “Apps e tweaks no jailbreak do iPhone”

Review: Violentina

Violentina é sobre isso: reúna seus amigos e passe um bom tempo se divertindo enquanto criam uma história. Mais do que os tradicionais RPGs, em Violentina cada jogador tem um grande poder de mudar a história. Isso porque não há um Mestre ou Narrador: todos são “Mestres” revezando em turnos. Essa é a idéia mais forte em Violentina, e a que mais me impressionou.

Eu já fui de planejar cada detalhe de minhas sessões de RPG quando Mestrava ou Narrava, mas com o tempo fui adquirindo uma flexibilidade e manha que me permitiram criar histórias com mais improviso, junto aos jogadores. Violentina coloca essa manha no centro do jogo. Também não há uma preparação prévia para o jogo: tudo é criado na hora, colaborativamente e com a ajuda das regras do jogo. Continue lendo “Review: Violentina”

Apps de smartphone para RPG

Sempre fui muito fã de RPGs, tanto os eletrônicos como os tradicionais, de mesa. Principalmente os de mesa: é muito bacana se reunir com os amigos, ter uma boa conversa e se divertir por horas a fio! Juntávamos lápis, papel, livros e alguns dados e já estávamos prontos pra uma aventura que ocuparia boa parte dos nossos fins de semana.

Há algum tempo, porém, acabei por parar de jogar: faltava tempo e organização pra coincidir os horários de todo mundo. Haja jogo de cintura pra reunir uns cinco amigos por pelo menos umas cinco horas em meio a tantos compromissos! Há alguns meses, no entanto, conseguimos dar um jeito e estamos jogando Dungeons & Dragons em intervalos regulares. Voltei até a mestrar!

E uma diferença interessante que pude notar nessas novas sessões de RPG é que todos, do Mestre aos Jogadores, possuem smartphones em seus bolsos. Lembro que, quando mais jovem, sempre quis ter um notebook leve e prático pra organizar as fichas, livros e material da campanha. Os smartphones caíram como uma luva! Continue lendo “Apps de smartphone para RPG”

Distribuição digital vale a pena?

Ter uma coleção de jogos, originais ou não, sempre foi significado de ter estantes ou caixas lotadas de caixas, manuais, cartuchos e discos. Eu nunca fui um colecionador que se preze, pois sempre troquei jogos com os amigos ou os vendia quando trocava de plataforma, mas sempre fico impressionado quando vejo coleções bem cuidadas por aí. Eis que com a nova geração de consoles, serviços como a Steam e smartphones temos um novo paradigma que veio pra ficar: a distribuição digital. Continue lendo “Distribuição digital vale a pena?”

O Desafio Gamer

Sempre quis trabalhar diretamente com games, pois essa é uma área que gosto bastante. Tanto de jogar, que infelizmente não consigo mais dedicar tanto tempo quanto antes, como escrever, analisar e até desenvolver games. Já passei várias horas brincando com ferramentas de desenvolvimento: de RPG Maker a Unity, passando pelo XNA Studio. No entanto, continua sendo um hobby. Continue lendo “O Desafio Gamer”

Fotografe todos os dias para melhorar sua técnica!

Lembro quando ter uma câmera e poder tirar várias fotos era um luxo. E olha que nem sou velho assim pra ficar relembrando os “velhos tempos”… os equipamentos de fotografia evoluíram muito rápido nas duas últimas décadas. Ter uma câmera já deixou de ser um problema há tempos. Primeiro vieram as point-and-shoots básicas, depois todo celular passou a ter uma câmera. Hoje em dia dá pra se ter uma câmera “decentezinha” em seu bolso, te acompanhando praticamente todo o dia!

E é justamente sobre isso este post. Podemos tirar fotos de qualquer coisa, mostrar para os amigos instantaneamente pela internet e sem gastar mais algum dinheiro pra isso. Sites e redes de fotografia existem aos montes, como os famosos Flickr, Instagram e Picasa. Porque não usar isso e aprender um pouco mais sobre fotografia, todos os dias? Continue lendo “Fotografe todos os dias para melhorar sua técnica!”

Configurando os serviços do Google no iOS

Você já deve estar se perguntando logo de cara: que maluquice é essa? Explico: o iOS tem um passo-a-passo facílimo para quem tem uma conta no Google: basta colocar usuário e senha. Pronto, seu e-mail, contatos, notas e calendário estarão sincronizados com os serviços do Google. Mas nem sempre dá pra resolver tudo com isso.

Para habilitar o Push para entrega imediata de email no GMail, por exemplo, tem de se usar o Microsoft Exchange para isso. Já no Google Agenda, você pode possuir diversos calendários diferentes. Um pessoal, outro da família, outro com prazos de projetos, outro com feriados, etc. É uma sacada bacana para organizar os seus compromissos. O problema é que, usando a solução simplificada, apenas o seu calendário principal será sincronizado. Mas e aí, se você for um viciado em calendários? A solução proposta pelo Google é usar a opção de adicionar calendários CalDAV. Continue lendo “Configurando os serviços do Google no iOS”

iPhone e Mac OS X Ultimatum

O iOS, como todos sabem e muitos xingam, não permite muitas personalizações em sua interface. O Android trilha um caminho diferente: no próprio Market oficial é possível achar aos montes aplicativos que alteram a experiência do usuário com a plataforma, para melhor ou para pior. A Apple não trabalha desta forma.

Para o usuário comum, o ponto de vista controlador da maçã é o que traz resultados mais positivos: a experiência de todos os usuários, não importa a geração do iPhone, iPod touch ou iPad, é basicamente a mesma. Não existe outra curva de aprendizado. Para os usuários mais “avançados”, essa é uma posição autoritária que tira um pouco do brilho da plataforma. Esses podem encontrar a felicidade fazendo o jailbreak de seu aparelho, ou mudando de OS e indo para o Android.

Eu já fui muito a favor dessa abertura no softwares que usei, hoje acho que é uma curiosidade interessante, não mais um deal breaker, ou seja, algo que me faria desistir da plataforma. Vejo pontos positivos em ambas abordagens, só não tenho mais a disposição de testar todos os tipos de personalização, afinal nem todas elas são otimizadas ou tão bem pensadas quanto a interface original. Continue lendo “iPhone e Mac OS X Ultimatum”